Como vender durante a crise, resultados em 1 mês com as Redes Sociais.


Você já sentiu que está fazendo muito esforço sem atingir o retorno esperado?


Já imaginou vender o suficiente para garantir estabilidade financeira e principalmente - ter opções?

Opção e liberdade para trabalhar de qualquer lugar, de sustentar a sua família, de nunca mais passar por dificuldades financeiras?


Neste artigo vou te contar o passo a passo de como eu superei as dificuldades financeiras e consegui estabelecer diversos negócios de sucesso durante a crise.


Vou te ensinar a utilizar as melhores ferramentas disponíveis que podem transformar a sua vida.

A oportunidade está na sua mão, aproveite!


  1. Porque estar ONLINE? Quando a chave virou para mim.

  2. Erro #1: Falar para todo mundo. Qual é o seu público?

  3. Erro #2: Criar um personagem. Seu Negócio é um reflexo de você

  4. Erro #3: Investir só no INSTA, ou em 1 plataforma.

  5. Seis passos para começar

  6. Bônus para crescer mais rápido: Impacte com videos

  7. Você está pronto!


redes sociais para empresas

1.Qual a importância de estar ONLINE?


A ficha começou a cair para mim lá em 2014, na época eu tinha alguns investimentos na área de marketing. Como fotógrafa eu investia em associações internacionais, blogs de casamentos e fazia anúncios em revistas de casamentos. Eu ja tinha trabalhado para a Caras, meu trabalho saiu em algumas revistas e até no GNT.


Foi nessa época que fui chamada para um programa de aprimoramento oferecido pelo FACEBOOK, chamado a Rota do Sucesso, que auxiliava na divulgação da marca e na atração de clientes a partir de anúncios. Eu precisava me comprometer com um investimento mínimo em anúncios no meu perfil, e tinha acompanhamento exclusivo de especialistas da área nas minhas campanhas.


Naquele momento comecei a perceber as principais diferenças na transição entre o marketing tradicional e o online. Notei que aquele valor em anúncios era apenas uma parcela do que eu já investia em marketing e que o alcance proporcionado era impressionante.

Naquele momento entendi as duas coisas que o crescimento do FACEBOOK estava trazendo:

  1. A mudança do ATRAVESSADOR > CLIENTE FINAL.

Nos investimentos de Marketing Tradicional eu contratava um ATRAVESSADOR, que trazia um público específico de um determinado NICHO. O atravessador tinha uma identidade definida e consistência no conteúdo que fornecia para seu público.

Uma analogia seria como se no Marketing Tradicional sempre tivéssemos